Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Fotoblog do Pilantras

É uma beleza brincar com as fotos

É uma beleza brincar com as fotos

O Fotoblog do Pilantras

O Pilantras


Bem-vindos aos Blogs do Ticas, este vosso novo amigo na Blogosfera

Bem-vindos aos meus Blogs e aos do Quico e do Ventor

Caminhando com o Ticas, caminham sempre com o Quico e com o Ventor

A Grande Caminhada do Ventor, Pelos Blogs do Quico e do Ventor

E agora com os Blogs do Ticas, continuamos todos a caminhar juntinhos

O Ticas nos Trilhos do Quico: observo o Ventor por todos

O Ticas nos Trilhos do Ventor: recordarei sempre o Quico

Pilantras - o Ticas: recordarei sempre o Quico

Venham connosco. A Grande Caminhada nunca acaba!



Como são lindas as flores!

Vejam a beleza destas flores que o Ventor colocou no Flicker! Vocês nunca imaginarão como o Ventor anda entre as flores! Ele caminha com passo de leopardo ou, talvez melhor, com passo de gato ensonado. Entra pelo jardim, não liga a nada, só se preocupa em não pisar as flores,


Eu via-o quando ele entrava no jardim para ver os seus amigos, porque ele, a mim, só me via quando a minha dona me ia dar de comer. Às vezes descia e fazia tudo para não me pisar a mim e às flores.

Uma vez, ele caminhava, lado a lado com o guarda do jardim que não gosta de gatos e eu fui esfregar-me naquelas pernas do Ventor. Ele perguntou-me: "quem te abandonou, Pilantras"? O guarda disse: "esse não foi abandonado. Saíu do quintal desses vizinho"!


O Ventor sorriu, fez-me uma festa e seguiram. Virou-se para trás e disse: "não te metas com os patinhos Pilantras"!

23
Mai13

Eu sou o Pilantras

Pilantras

Para os que não sabem, eu sou um dos novos amigos do Ventor.

O Ventor tirou-me da rua, tal como tinha feito com o Quico. Levou-me ao Veterinário, estive lá uns dias e fui tratado como um Príncipe. Príncipe com letra grande, pois claro!

Nos dias que lá estive, pensei que o Ventor me quisera só por uns dias e me tinha abandonado mas, ele, achou que já chegava de veterinário e foi buscar-me um dia mais cedo.

 

Disse à minha dona que iam beber o café a Lisboa e, se a coisa fosse possível, traziam-me com eles. E foi assim. Vim com eles mas, vinha aflito dentro de uma transportadora grande que a veterinária nos emprestou porque eu trazia um funil ao pescoço. Quando o Ventor me trazia para casa, eu fiz tudo para me ver livre daquele casarão, revoltei-me e consegui abrir a porta. Quando o Ventor deuo por isso já eu ia a correr pelo passeio acima, rumo ao meu jardim. Depois o Ventor e a minha dona foram-me buscar ao rio, onde eu meti a cabeça com o funil no meio de calhaus e tanto puxei que o tirei, mesmo nas barbas do Ventor. Depois fugi para um cano onde passam as águas das sargetas, onde me costumava esconder dos cães e disse para mim que mais ninguém me apanhava!

 

 

Eu sou o Pilantras e observo tudo desde o miradouro do Quico

 

Mas não fui capaz!

A minha dona chamava-me como sempre: "Chaninho, anda cá Chaninho, vem comigo para comeres que deves estar cheo de fome. Eu sei do que tu gostas e a tua veterinária não sabia. Anda chaninho que eu não te coloco o funil" ... etç.

Bem, se eu não acreditar nela que sempre me tem dado de comer, em quem acreditar? Se não faço o que a minha amiga quer, com a perna aleijada, pendurada, sem forças, estou tramado! O melhor é fazer o que ela me pede!

 

Lembrei-me do que os amigos do Quico me diziam e como ele e o Ventor eram amigos. Depois pensei que, eu e o Ventor nos podíamos dar muito bem e perguntei à minha dona se não me punham o funil. Ela disse que não e pronto, fui ter com ela e dei-lhe muitas marradinhas. Levaram-me para casa e, comi tudo que havia de bom para mim, depois fui dormir toda a tarde.

Uma semana depois, para meu azar, o Ventor meteu-me naquela casota de grades e obrigou-me a ir com ele para Lisboa para eu apanhar mais uma pica. Fui mas, fui sempre a refilar. Acho que não posso confiar muito neste gajo, pensava eu. Vai-me abandonar aqui outra vez. Estou tramado, pensei eu!

 

A veterinária esteve a conversar com o Ventor, deu-me uma pica e continuaram a conversa. Depois o Ventor disse para a veterinária: "agora vai ser o diabo para o meter na gaiola". Pensei com os meus botões que o Ventor era mais maluco que eu e, resolvi colaborar. Virei-me para a porta da gaiola e entrei. Voltei-me par eles e disse ao Ventor: "se é para irmos embora vamos"! O Ventor fechou a porta, pagou e fomos para o carro. O que eu queria era ver-me dali para fora.

Viemos para casa, refilei pouco com o Ventor porque queria que ele soubesse que eu não gosto nada de andar de carro. Depois o Ventor disse à minha dona que eu me portei bem e fiquei todo contente. Agora o Ventor deixa-me mexer em tudo e pôs-me a rever tudo o que o Quico deixou feito aqui. Disse-me que eu vou ser o seu novo Secretário e que, se eu me portar bem, sedrá tanto meu amigo como foi do Quico. Eu cá vou ter de me portar bem! Farei tudo para isso e vocês, aqueles que forem meus amigos como forem do Quico, vão ter de me aturar!

Eu sou o Pilantras.


Desde que ando por aqui, com o Ventor, sonhava ter um Blog como o Quico tinha. Ele fez um pacto comigo. Trás as fotos e eu coloco-as aqui no meu Blog.



O que eu Quero?


Quero caminhar ao lado do Ventor, ao lado dos nossos amigos, ao lado dos Amigos do Quico, ao lado de todos os filhos do Sol.

O que eu quero, é fazer parte do mundo! Quero ser um gato respeitado e respeitador, quero ser um animal companheiro de todos que vivem junto de mim.

Quero ser um gato feliz ao lado do Ventor e da minha Dona e, sem ser acompanhado por uma grande arrelia como foi o velho amigo do Ventor - n' A Arrelia do Quico.

O que eu quero, é recordar sempre as preocupações do Quico! Não esquecerei nunca, tal como o Ventor, as preocupações do Quico.

Calendário

Maio 2013

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031